Métodos Não Farmacológicos de Alívio da Dor

Olá! Nesta postagem vamos falar sobre Métodos não farmacológicos de alívio da dor! 

É muito comum as mulheres desistirem do parto normal por medo da dor do trabalho de parto. Precisamos ressignificar a dor no trabalho de parto. A dor tem diversas funções e uma delas é avisar “Você está em trabalho de parto, se prepare, procure um lugar tranquilo e seguro para ter seu bebê!” E neste sentido, avisar que chegou o “grande dia”, o dia de conhecer seu filho! A dor existe, em intensidades diferentes para cada mulher. O que propomos é que essa dor seja vista como algo positivo. Ela indica um processo para a chegada de uma pessoa especial e um rito de passagem de mulher para mulher-mãe.  Assim, com esta perspectiva vamos transcender a dor, fazer dela nossa aliada para abrir a passagem para este ser especial que vai chegar.  

As contrações, responsáveis pela dor, auxiliam na abertura do colo uterino, na descida e na saída do bebê. Os profissionais de saúde podem auxiliar no alívio das dores do parto e uma ferramenta importante é o método não farmacológica para o alívio da dor, que tem sua eficácia comprovada cientificamente. Logo abaixo falaremos um pouco sobre algumas delas. 

Se você deseja se preparar melhor para este momento, é necessário que já receba as orientações quanto aos métodos não farmacológicos no pré-natal, para que conheça e possa escolher quais deseja utilizar, contribuindo para uma boa vivência em seu trabalho de parto. 

Algumas técnicas de alívio da dor: 

Massagens corporais – Promovem o alívio da dor através do relaxamento e da diminuição do estresse, pois melhora o fluxo sanguíneo. A diminuição do estresse ocorre pelo contato físico com a parturiente, principalmente se o contato for com seu acompanhante. A massagem pode ser de forma leve ou mais firme, com vibração, amassamento, pressão circular profunda, pressão contínua e manipulação articular. Podem-se usar as pontas dos dedos, as mãos ou vários aparelhos que rolam, vibram ou pressionam.  

Exercícios respiratórios – Ajudam a aliviar a dor através do relaxamento e diminuição da ansiedade. Melhoram os níveis de saturação sanguínea de oxigênio. Esses exercícios não devem ser feitos durante todo o trabalho de parto, pois podem ocasionar hiperventilação na parturiente.  

Bola – Na bola a parturiente consegue ficar sentada com a coluna bem alinhada, sem desconforto, podendo ficar parada ou realizando movimentos verticais ou circulares, que ajudam na descida e rotação do bebê e no alívio da dor. Em todos os exercícios sobre a bola, é recomendado que a parturiente segure as mãos do profissional de saúde ou do companheiro, para ficar mais firme e segura. 

Fonte: Sepaco autogestão

Banho morno de aspersão ou de imersão – A água aquecida induz a vasodilatação periférica e a redistribuição do fluxo sanguíneo, promovendo relaxamento muscular e reduzindo a ansiedade. A prática varia muito e inclui o uso de duchas, banheiras, hidromassagem e “piscinas de parto” especiais. 

Cavalinho – Auxilia no relaxamento e aumento da dilatação, além de promover o alívio da dor. É semelhante a uma cadeira com espalda invertida, onde a gestante apoia o tórax e os braços jogando o peso para frente e aliviando as costas. Durante as contrações, a parturiente também pode ficar nessa posição para receber massagem na lombar, com a finalidade de relaxar e aliviar a dor do trabalho de parto.   

Inserindo imagem...
Fonte: Jornal da UEM

Outras medidas para o conforto da parturiente:  

  • Diminuição dos ruídos sonoros 
  • Privacidade 
  • Caminhar/deambular durante o trabalho de parto 
  • Aromaterapia 
  • Cromoterapia 
  • Musicoterapia 

Procure mais sobre o tema, assim, com o uso das técnicas que ajudam a aliviar a dor, você vivencia este período de preparo do corpo para o nascimento com muito mais proveito e satisfação, não só porque ocorre a diminuição dos desconfortos, mas também em razão de todo o aprendizado que permite transcender a dor do parto e assimilar a sua ressignificação. 

Qualquer dúvida sobre este ou outro tema, nos escreva! 

Referências Bibliográficas: 

Ministério da Saúde. Diretrizes nacionais de assistência ao parto normal. Disponível em: < https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacionais_assistencia_parto_normal.pdf> Acesso em: 22 de novembro de 2020. 

Maternidade Escola UFRJ. Métodos não farmacológicos de alívio da dor no trabalho de parto. Disponível em: < http://www.me.ufrj.br/images/pdfs/protocolos/enfermagem/metodos_nao_farmacologicos_de_alivio_da_dor.pdf> Acesso em: 22 de novembro de 2020. 

Texto produzido pela Acadêmica de Enfermagem Carolina Siciliano da Luz e Profª Drª Cristiane Rodrigues da Rocha.

Publicado por Dra. Cristiane Rocha

Professora Doutora do Departamento de Enfermagem Materno-Infantil da Escola de Enfermagem Alfredo Pinto da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Especialista em Obstetrícia pela UFRJ e Especialista em a Moderna Educação pela PUC.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: